Pescando Histórias

 

Logo blog 5Bem vindo(a)!

O projeto se inicia com uma vídeo aula on-line sobre teatro de bonecos que pode ser disponibilizado para todas as escolas municipais da cidade de Bombinhas. A partir desta, será pesquisado junto às crianças e demais interessados, histórias e personagens que gostariam de ver em uma peça de teatro. Com estas informações, será realizada uma vídeo aula de dramaturgia, que transformará este material em textos teatraisque receberão acompanhamento específico, com método para que a montagem possa ser feito em casa, de maneira simples. O projeto vai acompanhar os interessados e suas montagens, e divulgar os mini-espetáculos concluídos, junto a Fundação Cutural de Bombinhas e Secretaria de Educação.

Patrocínio Prefeitura de Bombinhas, Edital Mestre Cantalício Rocha 2019 – Fundo Municipal de Cultura – Fundação Municipal de Cultura.

Proponente:
Fabio Prates
Projeto – Pescando Histórias
Edital Mestre Cantalício Rocha 2019 – Artes Cênicas

Realização Cia Sandra Baron

Parceria Filmjoin – Audio Visual

OBJETIVOS

– Formação de novos grupos: através da oficina on-line e acompanhamento virtual, que vão desde a compreensão sobre como montar um mini-espetáculo, a partir de uma idéia, ou história, até a criação de personagens, a confecção dos bonecos, os ensaios de manipulação, e a apresentação final.

– Resgate das histórias e personagens que fazem parte do imaginário de jovens e crianças de Bombinhas, deixando na cidade um núcleo de teatro de bonecos e um espetáculo pronto

– Formação de público: através de encontros físicos ou on-line, espetáculos a serem feitos para espaços públicos e virtuais, de forma gratuita e que são adequados a todo tipo de público.

– Difusão de informação sobre esta arte: através de todas atividades realizadas.

Porque o “Pescando Histórias”?

Para que uma arte seja mais bem apreciada e valorizada, é preciso que o seu público-alvo a conheça, saiba de sua complexidade, dificuldades, histórias, etapas, enfim, só se pode gostar de algo que se conhece realmente. A ideia de que não se pode gostar do que não se conhece, me levou a pensar o projeto como aula espetáculo, citada na descrição do projeto, que possibilite um contato direto com técnicas diversas, o poder “ver o que se esconde atrás dos panos”, debaixo das roupas, conhecer as diferenças entre os diversos estilos e formas de se fazer teatro de bonecos, certamente será um momento mágico para os participantes. É preciso ter certeza de que estamos falando para as crianças e adolescentes, nosso maior público-alvo, sobre temas pelos quais elas se interessam. Que, além disso, estamos falando da forma correta, com os elementos estéticos adequados. Qual a melhor forma de levar uma criança/adolescente a gostar de teatro senão despertando a sua curiosidade? Quem não gostaria de ter “sua idéia” posta em cena? Daí nossa proposta de espetáculos sob encomenda, o “Pescando Histórias”

Nós vamos falar daquilo que elas querem ouvir, saber, discutir. E vamos fazê-lo em uma oficina, deixando na cidade, ao final da mesma, um produto que poderá ser apresentado em outras escolas, locais e eventos, pelos participantes, provocando um efeito multiplicador.

Acreditamos que uma parceria entre a secretaria de educação e da cultura na cidade, poderá render excelentes frutos. Com nossa proposta de que os jovens e as crianças nos informem sobre o que querem, estaremos também incentivando a escrita, a comunicação, e a colocação clara de idéias. Assim sendo, este projeto também será uma excelente ferramenta de arte educação e um investimento nas futuras gerações.

Projeto on-line

Segundo estudos recentes, o ensino a distância partilha com o presencial os seguintes componentes:

– Apresentação do conteúdo

– Interação com professores, alunos e suporte.

-Aplicações práticas

– Avaliação

Levando em consideração a situação de quarentena e de que as alterações no projeto permitem que os interessados possam desenvolver seus trabalhos em qualquer lugar e hora, de acordo com a disponibilidade, e de maneira independente ou com orientação dos responsáveis, é possível mesmo através da distância a realização dos objetivos do projeto.

PUBLICO ALVO

A oficina terá um módulo inicial on-line, gravado e distribuído pela rede municipal de ensino, e terá participação livre, tanto dos alunos como da família, comunidade e demais interessados.

 

METODOLOGIA

1) Contato com a secretaria de cultura e educação para seleção das escolas participantes. Esses contatos serão feitos via telefone, e-mail e eventuais visitas locais, para discutir com as escolas a melhor forma de conduzir o trabalho, para que o mesmo possa ser aproveitado também, como atividade interdisciplinar no currículo escolar.

2) A produção da Cia Sandra Baron será o contato e apoio entre as escolas, com o agendamento das palestras, oficinas e espetáculos.

3) Visita às escolas com apresentação da aula espetáculo sobre o Teatro de Bonecos e para informar às crianças de nosso propósito, com as mestras bonequeiras Conceição Rosiére e Sandra Baron.

4) Recolhimento das ideias e sugestões de temas para as montagens – via redações, cartas, emails a serem recolhidos pela produção.

5) Organização do material recolhido, agrupamento de ideias semelhantes/iguais, separação dos temas sugeridos, etc.

6) Encontros de estudos dramatúrgicos com Sandra Baron, trabalhando com o material recolhido – Nesses encontros serão trabalhados os roteiros e a dramaturgia para cada uma das ideias selecionadas, transformando-as em um material que poderá ser trabalhado para a criação de um espetáculo

7) Realização das oficinas de montagem – As técnicas e materiais serão definidos conforme os roteiros criados.

8) Visitas intermediárias às escolas, ou visitas dos alunos ao local das oficinas, para despertar a curiosidade, discussões, etc. Como desde o dia da palestra pode ter se passado algum tempo, pretendemos recuperar o interesse das crianças, mostrando a elas que a história está sendo criada e despertando novamente a curiosidade e a vontade de assistir aos espetáculo.

9) Apresentação dos espetáculos resultantes das oficinas – em locais de fácil acesso e onde seja possível reunir todos os jovens e crianças que participaram das palestras, bem como outros interessados.

10) Discussão e avaliação dos trabalhos apresentados juntamente com o público, para verificar se conseguimos retratar em nossas histórias as ideias que nos foram enviadas.

 

EQUIPE ENVOLVIDA

Coordenador Geral: Fabio Prates

Começou a atuar na área teatral em 2000 com a peça “A Cantora Careca”. Participou da turnê Baú de Histórias SESC em 2011 com “O Violinista”, e em 2014 com “Ana Cigana” (produção). Já participou de 15 oficinas, atuou em 6 montagens teatrais e um curta-metragem. É produtor executivo desde 2011 e produziu todos os espetáculos da Cia Sandra Baron e seus projetos, circuitos, oficinas e eventos. Produziu os Festivais “1º Festirua Internacional de Teatro e Títeres de Rua”, “1º Festilambe Brasil”, “Circulação do Clube do Lambe-lambe” em Jaraguá do Sul e 3 edições do “Circuito de Contações de Histórias”. É sub-secretário da ABTB – UNIMA Brasil.

Diretora teatral, produtora e oficineira.

Foto Sandra

Sandra Regina Baron (nome artístico Sandra Baron) A Cia Sandra Baron foi fundada em 2012, pela atriz e produtora Sandra Baron, que atua na área de teatro desde 1985, produção cultural desde 1993 e dentro da área de formas animadas desde 2004. Bacharel em Artes Cênicas pela Universidade Regional de Blumenau / FURB, Sandra já participou de 40 Festivais, três deles fora do Brasil (Ojos Misteriosos/Argentina, Festilambe/Chile e FAFE/Portugal) Dirigiu mais de 40 peças, atuou em mais de 30 montagens, participa, coordena, ministra, promove e produz diversos cursos, oficinas, festivais e eventos. Nos 6 anos de Bombinhas, foram realizados trabalhos de pesquisa, intercâmbio e residência artística permanente, tendo como seu mais importante resultado o espetáculo “A Mariana e a Benzedeira da Ilha”, além de vários projetos culturais promovidos pela Cia como o “Teatro Bom Demais”, “Cultura em Cena”, “Festirua Internacional de Títeres de Rua”, e “Festilambe Brasil”, “Teatro no Engenho”, “Cultura Selvagem”, oficina de Lambe- Lambe, Contação de Histórias, além de apresentações em escolas, associações e eventos.

Palestrante e orientadora do início dos trabalhos do projeto.

Conceição

Maria Conceição dos Reis Rosiére (nome artístico Conceição Rósiere) Currículo resumido: Artista plástica, bonequeira e estudiosa, há mais de 30 anos, do Teatro de Animação, tem inúmeros trabalhos de criação e confecção de bonecos para diversos grupos,  manipulação, assim como criação de textos e direção de espetáculos premiados, além de ministrar cursos, seminários, palestras e apresentar exposições de bonecos. Conceição Rosiére é arte educadora e bonequeira, e especialista em linguagens do teatro de formas animadas.

 

 

 


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s